terça-feira, 18 de maio de 2010

CONFISSÕES INSONES

Nessa cidade não há lua. A única forma celeste que posso ver está dentro da alma da minh'alma e ela se encontra tão escondida como uma agulha no palheiro, ou como uma criança maltratada se escondendo do padrasto. Também gostaria de me esconder ou pelo menos esconder a tristeza que assola meus pensamentos. Desejaria expulsar a fagulha de felicidade que insiste em viver aqui dentro, assim as pessoas poderiam me ver com olhos menos penosos. NÃO DÁ! NÃO DÁ! NÃO DÁ! EU JURO QUE TENTO, MAS NÃO DÁ! como se algo amarrasse a felicidade, como se um chumbo a prendesse na parede do sofrimento. Minha vontade é de cortar os pulsos, cordar os cordão umbilical da vida e passar para um estado de sem-nada. Ou quem sabe nascer de uma placenta com mais sorte. Vou dormir! pelo menos tenho a esperança que o dia de amanhã seja ensolarado.

2 comentários:

Suziley disse...

Que seu dia seja lindo e ensolarado, Bruno. Bom dia, :)

ONG ALERTA disse...

A vida nos coloca aonde precisamos aprender para sermos pessoas melhores, quem faz o sol brilhar é nosso coração, paz.

Loading...